José Pinto (Vila Real, 1988) vive em Mindelo, Cabo Verde. Psicólogo, poeta, dramaturgo, tradutor, escritor de conteúdos, performer e leitor. Autor de Humanus (Portugal, 2015), TOCA: oito poemas de amor e uma canção angustiada (Portugal, em breve) e Chá para o nevoeiro (Brasil-Galiza, em breve). Colaborou com a Revista Palavra Comum e na edição, tradução e revisão da Revista dos Tr3sReinos, ambas na Galiza. Textos seus foram publicados em revistas e fanzines do Brasil, Cabo Verde, Espanha, Estados Unidos da América e Portugal. Poemas autorais foram adaptados para melodramas pelo compositor Filipe Pinto (Alemanha) e escreve para teatro, com textos estreados em Cabo Verde e Portugal. Trabalha como dramaturgo no UMCOLETIVO (Portugal) e é fundador e diretor artístico da Associação txon-poesia (Cabo Verde), criada para explorar a potencialidade da palavra numa perspetiva transdisciplinar, intercultural e participada (Cabo Verde).